Revista Crea-SP | nº 10 - Page 12

2018

15 Anderson Santana Marques ........................................................... DAC 1 Maria Valdevina Cardoso ................................. UGI São José dos Campos
16 Andre Luiz de Campos Pinheiro ...................................................... DAC 3 Enoque Mendes Queiroz Filho .......... Unid . de Logís�ca e Rec . Materiais
17 Angela Maria da Silva ...................................................... UOP São Roque Elcio José Rinaldi ............................................................ UGI Santo Andre José Ribeiro de Abreu Filho ...................................................... UGI Oeste Luciana Pagano Romero .............................................. Depto . Consul�vo Nivia de Castro Carvalho ........................................................ UGI Santos 18 Davi da Silva Estevam ............................................................... UGI Oeste 19 Sheila da Silva Pereira ............................................................. UGI Santos 20 Maria Cris�na Meli .................................................................... UGI Leste 21 Aldo Antonio da Silva ................................................. Unid . de Licitações
Tania Solange Gaspari ...................................................... UGI Araraquara 22 Fernando Alonso Smerdel de Sousa .............................. UGI Santo André
João Antonio Correia de Almeida ...................................... UGI Piracicaba
José Brasil de Sousa Neto .......................................................... UGI Leste
23 Ismenia Chaves dos Santos ........................ Depto . de Recursos Humanos Izildinha Aparecida Amaral Vieira ................ Unid . de Gestão de Pessoas Marcolino da Silva .......................................................................... DAC 2 24 Alan Rodrigo Lima Oliveira ....................................................... UGI Oeste 26 Cris�ane Gasparino dos Santos Salgado .......................... UGI Americana
Vanessa Alca Bo�n da Silva ............................................... UOP Ourinhos
27 Joana Valerio Doval ............................................................ UOP Ber�oga Maria Eugenia da Costa .......................................................... UGI Santos Maria Isabel Amazonas Maciel .......................... Gabinete da Presidência
28 Carina Freires Yazbek ......................... Depto . de Comunicação e Eventos Luzia de Almeida Goes ........................................................ UGI Sorocaba Soraia Kessuane Bego ................................... Unid . de Gestão de Pessoas
29 Cris�ane Aquino Cabriote Bernardo ................ UGI Presidente Prudente Edilson Morgan de Castro ....................................................... UGI Franca
Sueli de Souza
UGI Sul
6 anos
Umberto Luis A . de Oliveira
DINFRA USA
6 anos
Victor Leonardo Tankus
UGI Santos
6 anos
Yuri Motohashi
UFISC
6 anos
08 / 09
Cecilia Maria Lourenco
UFISC
54 anos
Alzenir Maria Previa�o Bueno
UOP Rosana
20 anos
Carolina Aparecida da Silveira
DAC 2
9 anos
Paulo Henrique da Silva Pedrosa
SUPADM USU
9 anos
09 / 09
Dulcilia Pereira da S . Altheman
UGI Oeste
31 anos
10 / 09
João Antonio C . de Almeida
UGI Piracicaba
27 anos
11 / 09
Joelma Santos de Jesus
DINFRA - ULIC
28 anos
Ana Paula Costa de Oliveira
UOP Pindamonhangaba
12 anos
Leduar Faraco Junior
UGI Ribeirão Preto
12 anos
Marcelo de Ma�os Fioroni
DCS
12 anos
Ta�ana Coz Fidalgo
UPS Seam
12 anos
12 / 09
Adriane Brandao Lopes
UOP Avaré
7 anos
Tamila de Souza Alves Ferreira
DINFRA USA
7 anos
Ugo Ba�sta dos Santos Rezer
SUPADM USU
7 anos
13 / 09
Renata Valeria P . Casale Cohen
DCT
12 anos
Rita de Cassia Cordeiro Rocha
DEC
12 anos
14 / 09
Marco Antonio Palhares
UGI Capital Centro
9 anos
Renato Toshio Yamamoto
UGI Barueri
9 anos
Rosimere Alves dos Santos
UOP Guarujá
9 anos
15 / 09 Rodrigo Bucci Zorze�o GRE 12 2 anos 18 / 09 Efigenia Almeida Fernandes UGI Capital Centro 44 anos Ana Claudia de Souza Lopes UGI São José dos Campos 28 anos Abner Guimaraes Dias DINFRA ULRM 1 Ano Julia Alves Marques da Silva DINFRA ULRM 1 Ano 19 / 09 Maria Aparecida Gomes de Lima DINFRA USA 32 anos Maria Augusta Passos DINFRA ULRM 28 anos Silvia Françozo Cardim UOP Tupã 28 anos Luiz Augusto Cardoso Pinto Assessor Nível II 2 anos 20 / 09 Gumercindo Ferreira da Silva SUPCOL 2 anos Lourival Junior Franklin Ferreira SUPGER 2 anos Paulo Eduardo de Grava GRE 8 2 anos 21 / 09 Leonice Benevenuto Domingos UOP Ourinhos 28 anos Rosana Aparecida da Silva UGI Assis 28 anos 22 / 09 Maria Edith dos Santos Superintendência de Fiscalização 36 anos 24 / 09 Tarciso José Silvestre UFISC 50 anos Eliana Marta R . Pavesi Merighe UGI Pirassununga 28 anos Ana Lucia Siqueira UGI São Bernardo do Campo 27 anos
27 / 09
Fa�ma Aparecida da Silva
UGI Barretos
28 anos
29 / 09
Danniel de Holanda Assis
Assessor Nivel III
2 anos
REVISTACREA-SP | 7
Com os outros contemplados na promoção Com os colegas Luiza e Fernando Co m Muricy Com Muri Mu ricy cy Ramalho Ram R amal alho ho e A Arn Arnaldo rnal aldo do C Cés César ésar ar C Coe Coelho oelh lho o promoção com uma estadia de cinco dias na Rússia, quatro noites, tudo pago, com direito a acompanhante. O pessoal te pega em casa, leva para o aeroporto, vai ter um pessoal te esperando na Rússia. Você vai assis r a Brasil e Sérvia, no dia 27. Vai ter um citytour e você não vai precisar esquentar com nada. Uma empresa vai entrar em contato con go, vai pedir seus dados, suas informações, vai pedir que você encaminhe seus documentos”. Então, passou uma semana e uma empresa ligou perguntando quais documentos eu nha, quais eu não nha. Aí os caras agilizaram o passaporte, pagaram as taxas. Eu só ve que ir à Polícia Federal para rar foto e colher as digitais. Antes de viajar o cara enviou um e-mail com as explicações: “Você pega um Uber, vai até o aeroporto, lá vai ter alguém esperando, você já vai com o voucher”. Revista Crea-SP – E você levou o seu fi lho como acompanhante. Tatá – Sim. Quando falei pra minha esposa que eu nha ganho a promoção, ela falou: “Meu moleque vai adorar. Ele assiste futebol 24 horas por dia”. Mas aí eu enviei uma mensagem para o moleque pelo WhatsApp: “Quer ir para a Rússia”? Ele respondeu: “Você que sabe”. Só isso. Ele deve ter pensado: “Meu pai deve ter fi cado maluco”. Achou que eu estava sacaneando, brincando. Aí expliquei para o meu fi lho e ele fi cou contente pra caramba. Já começou a agilizar, na empresa onde trabalha, o período que poderia se ausentar e eles foram muito legais de liberá-lo para viajar”. 12 | R E V I S T A CREA-SP Revista Crea-SP – E o fuso, vocês sen ram muito? Tatá – São seis horas à frente do nosso horário, a gente fi ca meio confuso, sem saber que hora almoçou, que hora tomou café. Veja só: saímos no domingo à 1h20 da manhã e chegamos em Dubai por volta das 22h00, horário local, depois de quase 14 horas de voo direto; alugamos um táxi e fomos dar uma volta na cidade; fi camos no hotel em Dubai até a manhã de segunda-feira, quando par mos para Moscou. Então, o cansaço deixa a gente meio xarope... Revista Crea-SP – Vocês conseguiram passear um pouco nos outros dias? Tatá – Na terça-feira compramos, pela internet, um pacote para conhecer as estações de metrô, porque primeiro queríamos conhecer o sistema de transporte da cidade para depois começar a nos locomover. Eu e meu fi lho já nhamos programado conhecer as estações, que são verdadeiros museus, com trens seculares, em perfeito estado de conservação. Conhecemos oito estações, uma diferente da outra, com mosaicos, pinturas e esculturas. Uma sensação de estar voltando no tempo, de entrar em um fi lme de época. Na quarta- feira nós só nhamos o compromisso de providenciar a credencial para o jogo do Brasil e, na quinta-feira, um jantar. O resto do tempo fi camos livres para passear. Além do cartão disponibilizado com 530 dólares para cada premiado, nos deram ingressos para conhecer a Catedral de São Basílio e ckets para o metrô de Moscou. Revista Crea-SP – E a comida, vocês estranharam? Tatá – Além da questão do idioma, que é di cil, na comida – matéria em que sou muito enjoado – a gente ia pelas fi guras do cardápio. Procurava um desenho e mostrava para o atendente do restaurante. Sen falta do arroz, do feijão, do café. O café deles parece um chafé, de tão ralo que é. Aproveitava para tomar café nas máquinas, onde é um pouco mais forte. Revista Crea-SP – Vocês fi zeram outros passeios? O que mais chamou sua atenção nesses momentos? Tatá – Nós fomos conhecer o Museu dos Cosmonautas, mas, antes de chegar lá, acabamos nos perdendo. Aí eu vi um baixinho, um rapaz que deveria ter lá seus 18 anos, na dele, e fomos perguntar como chegar ao museu. Meu fi lho tentou conversar com o rapaz, mas não conseguiu, porque o russo não falava inglês. Tentamos por mímica, mas não deu. Até que o rapaz foi inesperadamente muito solícito: pegou no meu braço e me levou até o embarque da linha de trem que leva ao museu. No fi nal, ele me deu um abraço. Lá eles cumprimentam com abraço, po coração com coração. No dia em que visitaríamos o Kremlin, pelo citytour oferecido pela operadora de cartões de crédito, havia um evento com o presidente da Rússia, Vladimir Pu n, e a segurança impediu as visitas naquele dia. Um dia antes, nhamos passeado por toda a Praça Vermelha e conhecemos o túmulo de Lenin. Também fomos ao Bunker 42, da época da Guerra Fria, que fi ca próximo a Moscou e é o único aberto à visitação turís ca. Lá, eles promovem uma simulação de que a Rússia está sendo bombardeada e vão fechando as portas de aço, acionam as luzes vermelhas de emergência e as sirenes. Mais abaixo, no escritório de Stalin, tem a central de comando do bunker, onde projetam réplicas de ogivas nucleares e escolhem um de nós [visitantes] para manusear o painel de con- trole e decidir por acionar ou não a bomba atômica. O alvo é uma região dos Estados Unidos... Aí começa a contagem regressiva para o ataque, vão passando os códigos de acesso para o turista escolhido, enquanto reproduzem um fi lme com cidadãos norte- -americanos e sovié cos no dia a dia, indo para a escola, para o trabalho, cuidando dos fi lhos e da casa, passeando, crianças brincando no parque, para causar emoção e fazer o turista acionar ou não os mísseis. Se o turista aciona, como presenciamos, eles projetam vídeos dos mísseis saindo em di- reção aos Estados Unidos e depois a bomba devastando tudo. Naquela hora o coração aperta, as lágrimas começam a cair e você se pergunta: até onde o ser humano pode chegar? Não sei se é para sensibilizar ou para mostrar até onde vai a ignorância humana. É curioso que você sai de um evento onde todas as nações estão unidas, cur ndo pacifi camente, perdendo ou ganhando, e dep 2l:V'VW"6VVRFRv,:&6VFW&W76RV6;F֖6RW7V&&VF֖FFv6VFV76V2&66RFR :7<:fVfW"'FRfF6FFRR6G&7FRFfRFv"Rb2B5$T5