Revista Crea-SP | nº 09 - Page 16

FAMILIA TODOS UNIDOS EM TORNO DE UMA PAIXÃO NACIONAL Um hábito que atravessa gerações e independe de faixa etária: a práti ca de colecionar fi gurinhas no Brasil data do início do século XX, quando começou a circular o primeiro álbum, uma publicação de uma tabacaria com bandeiras de países. Depois vieram os cromos que traziam estampas de sabonetes, embalagens de balas... Até chegar à década de 1970, quando surgiu o álbum ofi cial da Copa do Mundo. De lá pra cá, de quatro em quatro anos, uma verdadeira febre toma conta de crianças e adultos, reunindo esti mados nove milhões de colecionadores e rendendo a maior fonte de receita para a editora italiana Panini, licenciada pela FIFA para distribuir a publicação em mais de 130 países. O maior consumidor mundial do álbum de fi gurinhas da Copa é o Brasil, seguido da Alemanha. As fi gurinhas vendidas em todo o mundo são confeccionadas em duas fábricas, uma em Barueri e outra em Modena, na Itália. A indústria brasileira produz cerca de 40 milhões de cromos por dia e é responsável por abastecer o mercado brasileiro e lati no-americano. O álbum ofi cial da Copa do Mundo Rússia 2018 começou a ser comercializado em março últi mo e trouxe novidades em relação à edição de 2014: são 18 16 | R E V I S T A CREA-SP jogadores por ti me, um a mais A agente administrati va (por equipe) que o álbum anterior, e Elizabeth dos Santos Ferreira também foram acrescentadas páginas Sousa (Unidade de Finanças) especiais com cartazes das curti u tanto colecionar as cidades-sede e fi gurinhas de fi gurinhas que até levou bronca jogadores e seleções históricas da do fi lho Matheus: “Ele disse Copa do Mundo. que estou levando muito a Mas a novidade que chacoalhou sério a coleção desse álbum, os colecionadores foi mesmo o às vezes surto quando ele cola preço: são 682 fi gurinhas (43 cromos errado ou rasga alguma fi gurinha”, a mais do que na edição anterior), diverte-se, lembrando que a ideia comercializadas em pacotes de cinco de colecionar foi dele, “mas eu a a R$ 2, ou seja, o dobro do valor em abracei com muito carinho (risos)”. relação ao álbum de 2014 e quase Para Beth, o mais diverti do desse o triplo em relação ao de 2010. O hábito “é a troca de fi gurinhas, as mínimo que você vai gastar para crianças (e os pais também) fi cam tão ansiosas completar o seu álbum são pra completar o álb um... querem as fi gurinhas R$ 272,80, considerando que os dos mais famosos... é uma loucura”, diz. pacotes não tenham nenhuma fi gurinha repeti da. Segundo a editora, o aumento está ligado ao valor dos contratos com as Já a agente administrati va federações para os direitos de imagens Andréia Dias Tawara (UGI de jogadores (que, no Brasil, é negociado Sul) controla os gastos com individualmente com cada jogador), as fi gurinhas “para que o necessários para a publicação, e o custo de hobby não se transforme em produção de fi gurinhas, afetado obsessão”. A coleção começou pela alta do dólar. com o fi lho Arthur, “mas toda Colecionadores “gourmet” investi ram a família se envolveu”. Para no álbum com capa dura (vendido com 12 ela, “além de ver o álbum pacotes de cromos a R$ 49,90) e até em completo, (o melhor de lati nhas de bolso, decoradas de acordo com tudo é) a interação com a temáti ca russa, para guardar as fi gurinhas outras pessoas e uma eterna repeti das. Em alguns shoppings, a editora lembrança de uma época também montou espaços licenciados para que jamais voltará”. troca dos cromos. O negócio é tão sério que a logísti ca de distribuição das fi gurinhas da Copa é feita por estariam nas duas páginas dedicadas à seleção brasileira, uma empresa de transporte de valores, já que, por ser um já que escalação só saiu no mês passado. Assim, item colecionável, a fi gurinha é considerada de alto valor e Daniel Alves e Giuliano foram eternizados no álbum, mas precisa ser transportada com segurança não irão à Rússia. Quando o assunto é preencher o álbum, a editora FIGURINHA DIFÍCIL garante que não existe essa história de fi gurinha di� cil: Pesquisas entre consumidores e consultas a todas elas são impressas e envelopadas em números jornalistas esporti vos ajudaram a defi nir os 18 nomes que R E V I S T A CREA-SP | 17