Projeto Cápsula Aqueles que Abandonam Omelas | Ursula K. Le Guin - Page 16

Normalmente, isso é explicado às crianças quan- do elas têm entre oito e doze anos, quando parecem capazes de compreender; e a maioria das pessoas que vão ver a criança são jovens, embora, com certa frequência, um adulto apareça ou retorne para vê- -la. Não importa o quanto o assunto seja bem expli- cado, esses jovens espectadores sempre se chocam e sentem náuseas diante da visão. Sentem repulsa, embora se considerem superiores à repulsa. Sen- tem raiva, indignação, impotência, apesar de todas as explicações. Gostariam de fazer alguma coisa pela criança. Mas não há nada que possam fazer. Se a criança fosse trazida para cima, à luz do sol, fora daquele lugar desprezível, se fosse limpa, alimenta- da e reconfortada, de fato, isso seria algo bom; mas se fosse feito, naquele dia e hora, toda a prosperida- de, a beleza e o prazer de Omelas feneceriam e se- riam destruídos. Eram esses os termos. Trocar todo o bem e a dádiva de cada vida de Omelas por aquele pequeno e único benefício: jogar fora a felicidade de milhares pela possibilidade de felicidade de um só, isso seria, sem dúvida, deixar a culpa entrar pe- las paredes. Os termos são rigorosos e absolutos: não pode ha- ver sequer uma palavra afável para a criança. 11