Preview dos produtos 56b0d82f1a076305614593pdf - Page 5

PORQUEEU? O uso de drogas já foi associado à transgressão, à arte, à ousadia. Nos anos de 1960, o consumo de alucinógenos era parte do contexto da revolução sexual e do grito social de vários países do mundo, inclusive na América Latina. Mas ainda pareciam poucos e diferentes aqueles que se aventuravam por essa viagem, sempre envolta numa aura obscura, exótica, “artística” e atraente. No entanto, muitos entraram na corrida desenfreada das drogas. E tantos morreram no percurso. Trinta anos depois, a diversidade e a disponibilidade das drogas só aumentaram. Se antes o alvo do tráfico eram artistas, intelectuais, roqueiros, agora ele alicia consumidores cada vez mais jovens, de todas as origens sociais. E o faz na porta das escolas, nos jardins de infância, na praça dos bairros da periferia, nos salões de festa, nos points da alta sociedade. Usar droga é promessa de achar uma saída para qualquer situação, diz a propaganda enganosa, convencendo até os que se acham melhor preparados para a vida. É ter poder para se transformar no super-homem, resolver tudo o que está pendente, salvar a humanidade, ainda que só por um instante, ou enquanto durar o efeito da “viagem”. Também é válvula de escape para fugir das dívidas, dos problemas familiares, das ausências ou da invisibilidade.