Plano de Ação 2020 PA2020 - Page 3

MENSAGEM DO PRESIDENTE A Cáritas de Coimbra, ao iniciar a segunda década do milénio, busca posicionar-se estrategicamente num tempo e espaço de profunda e rápida mudança, que traz consigo novos e exigentes desafios. Ao considerar-se instrumento da Igreja ao serviço de todos aqueles que a si se confiam e de todos os que vai ao encontro, busca perscrutar o olhar profético que revela o que ainda não é, mas que está a chegar. Vive e acompanha as exigentes dificuldades que tocam o 3º Setor, assim como sente a urgência da sua ação numa sociedade cada vez mais necessitada e dependente do apoio essencial que devolve dignidade à Pessoa, em cada uma das Foto 1 - Lançamento da plataforma (Des)Igual etapas da vida. Define, assim, para este ano, quatro orientações estratégicas para a sua ação, sem deixar de investir todos os esforços na concretização das atividades chave que caraterizam a sua missão. 1. Agora, mais do que nunca, é necessário repensar os modelos de intervenção, a partir da autorreflexão sobre as práticas existentes, chamando ao processo todos os atores: colaboradores, utentes e sociedade, com a premissa de que os modelos estruturados há 3 ou 4 décadas atrás, requerem o devido ajustamento, provavelmente profundo, para melhor servirem as necessidades atuais, sem nunca esquecer a centralidade na Pessoa e na comunidade. É sua intenção promover um FÓRUM, com uma participação alargada e diversificada, intra e extra Cáritas de Coimbra, com o objetivo de identificar os modelos de intervenção para os próximos anos. 2. Reconhece a Cáritas que nada se pode alcançar, com sentido, sem uma capaz capacitação dos intervenientes da ação: colaboradores e stakeholders, que se atinge com um investimento contínuo na promoção das competências de toda a cadeia de valor. Por isso, além da formação contínua e especializada, é necessário acolher e potenciar as boas práticas existentes em organizações congéneres. 3. A estratégia de sustentabilidade organizacional tem sido e tem de continuar a ser uma aposta a priorizar, sem nunca comprometer o espírito e a concretização da Ação/Missão que assumimos. Mais do que consequência da intervenção, devemos buscar o impacto organizacional e societário que os nossos tempos reclamam. 3