newsletter mensal - novembro 2020 - Page 5

Melhoria acentuada da qualidade do ar na última década
A melhoria da qualidade do ar conduziu a uma redução significativa das mortes prematuras na Europa ao longo da última década . No entanto , os últimos dados oficiais da Agência Europeia do Ambiente ( AEA ) mostram que quase todos os europeus continuam a estar expostos a poluição atmosférica , que provoca cerca de 400 000 mortes prematuras em todo o continente , sendo que Portugal conta com quase 10.000 mortes prematuras ligadas à poluição do ar .
O relatório da AEA « Air quality in Europe — 2020 report » [ Qualidade no ar da Europa — relatório de 2020 ] – pode encontrar a ficha informativa sobre Portugal aqui – mostra que seis Estados-Membros ultrapassaram o valor-limite da União Europeia para as partículas finas ( PM2,5 ) em 2018 : a Bulgária , a Croácia , a Chéquia , a Itália , a Polónia e a Roménia . Apenas quatro países da Europa — a Estónia , a Finlândia , a Islândia e a Irlanda — apresentaram concentrações de partículas finas inferiores aos valores mais rigorosos das orientações da Organização Mundial da Saúde ( OMS ). O relatório da AEA assinala que continua a existir uma lacuna entre os limites legais da UE em matéria de qualidade do ar e as orientações da OMS , uma questão que a Comissão Europeia procura abordar com uma revisão das normas da UE no âmbito do Plano de Ação para a Poluição Zero .
A nova análise da AEA baseia-se nos dados oficiais mais recentes sobre a qualidade do ar provenientes de mais de 4000 estações de monitorização em toda a Europa em 2018 .
Ver mais
5