mundoH51 - Page 9

Algo não está quieto em mim , mesmo com as campanhas realizadas , ainda aparecia um zumbido bem no fundo e me perguntava : que dias são estes que somos chamados para usar máscaras e abraçar menos , se antes a luta era que a Humanidade tirasse as máscaras para enxergar o além e deixar de serem superficiais ? Que dias são estes , que qualquer pedaço de pano se torna máscara , incluindo roupas interiores ( sutiã ), os doentes temem receber cuidados no hospital , os alunos não estudam , os dias mudaram de nome e as pessoas adicionaram nova frase : “ estou em quarentena ”? As pessoas já estão a recuperar do Idai , em menos de um ano houve mais enchente que devastou e soterrou a produtividade das comunidades de Dombe , trazendo desespero e insegurança . O vírus veio implantar mais vulnerabilidade nas pessoas , essa foi a conclusão ! Dias foram passando , equipamentos de proteção e limpeza foram distribuídos , novidade virou normalidade , a vida deu o seu contorno e continuar é a melhor opção . As pessoas perceberam que é possível realizar atividades , que realmente importam e preservam a saúde , pois a malária , a desnutrição , as doenças hídricas , parasitoses e doenças fúngicas , ainda estavam lá patentes , clamando por atenção . Uff ! O novo normal foi implantado , com isso tive a oportunidade de conhecer querubins , como Serafina , Hélio , Adriano , Mery , João , entre outros , cujas mães tiveram finalidades e causas diferentes , porém tinham pensamento comum : “ a nutricionista da Helpo vai encontrar uma solução para o meu bebé ”. É satisfatório poder dar um pouco de si para ajudar , o olhar de admiração muda conceitos de utente e profissional , para o conceito de família . Na qualidade de nutricionista não mereço o mérito , ouso dizer que o mérito vai para as fórmulas infantis doadas para ajudar no período do Idai - refiro-me às fórmulas de leite em pó desde a nascença até à etapa 4 e as farinhas lácteas e não lácteas - , porque elas garantem sustento assegurando o desenvolvimento e crescimento dos recém- -nascidos , dos órfãos , dos bebés cujas mães não os alimentam por trauma pós-parto , com anomalias ou enfermidades nos seios , com produção de leite defeituoso ou insuficiente , causada por desnutrição da mãe , etc . O mérito vai , também , para as fórmulas especializadas para o tratamento da desnutrição porque , dia após dia , chegam cuidadores à procura de alimentação para os seus filhos . Mas também chegam os cuidadores incansáveis e preocupados com a melhoria do estado de saúde das flores que nunca murcham . Neste período , foi possível programar e implementar de forma piloto algumas de demonstrações culinárias para complementar a educação nutricional , juntamente com os cuidadores , uma vez que o ramo de intervenção é na Nutrição Materno-infantil . Para esta actividade , a obrigatoriedade passa por convidar um interveniente diferente em cada sessão e os cuidadores devem trazer os alimentos que possuem nas suas despensas e explicar as técnicas de confeção , que normalmente utilizam no domicílio , para permitir a adoção de novas técnicas mais nutritivas . Foram realizadas quatro sessões : a primeira , com quatro cuidadores ; depois , o grupo foi crescendo de forma exponencial e agora conta com catorze participantes . A lei aplicada era “ venha aprender , o saber não ocupa espaço !” Importa esclarecer , que cada dia em Dombe é uma aventura , os acontecimentos são variados , mas tudo é ultrapassado , pois apesar da pandemia , o RESPI aparece , tem vida , braços , pés e ferramentas capazes de cuidar da Comunidade de Dombe . Por isso o slogan “ Juntos por Dombe ”, não é um mero conjunto de palavras , mas sim manjar de presença , atitude e virtudes .