mundoH51 - Page 6

MOÇAMBIQUE
tas cinco comunidades para iniciar a implementação da Fase I do plano operacional de emergência e distribuir os Kits de Sobrevivência às famílias de deslocados internos mais vulneráveis , especificamente famílias de mulheres grávidas , lactantes ( MGL ) e com crianças até aos 2 anos . Foram entregues 704 Kits de Sobrevivência , que abrangeram o mesmo número de famílias , e foram realizados 728 rastreios nutricionais , sendo que os casos de pessoas identificadas com desnutrição aguda foram encaminhados para o Posto de Saúde mais próximo , para serem acompanhadas . Brevemente , daremos continuidade ao trabalho iniciado em agosto , com a realização de um rastreio nutricional de follow-up às MGL e crianças até aos 2 anos . Esta ação será complementada com nova distribuição de Kits de Sobrevivência e Kits de Roupa de bebé / criança . Ao mesmo tempo , a Escolinha de Micolene , palco das primeiras distribuições da Helpo às pessoas deslocadas na Vila de Namialo , encontra- -se a beneficiar de obras de reabilitação de forma a reunir as condições necessárias para se tornar um Centro de Acomodação provisório , com capacidade para albergar entre 100 a 120 pessoas deslocadas . De forma a garantir o fornecimento regular de água potável , de condições de saneamento , iluminação e segurança no local , a Helpo está a trabalhar em conjunto com várias agências das Nações Unidas , tais como o ACNUR e a UNICEF , para que a disponibilidade destes serviços esteja assegurada . E porque a chegada de pessoas deslocadas às nossas comunidades é uma realidade praticamente diária , consideramos importante fazer um levantamento atualizado de famílias , de forma a minorar a necessidade urgente de apoio ao maior número possível de pessoas deslocadas .
Na 2 .ª Fase da intervenção , o grande propósito da Helpo passa por garantir que o Direito à Educação das crianças e jovens deslocados não lhes seja negado . É premente o regresso destas crianças ao espaço escolar , à normalidade e à rotina que daí decorre , numa tentativa de devolver alguma estabilidade às suas vidas , entretanto abaladas por mudanças súbitas , por perdas e traumas . Assim , e em parceria com as escolas , será fundamental o levantamento e a sinalização destes alunos e alunas no sentido de lhes garantir as condições necessárias para a sua reintegração escolar . Falamos da regularização da documentação pessoal / académica , acesso a material escolar e uniforme , apoio psicossocial , p . e ., aspetos básicos que podem fazer a diferença na luta contra o absentismo e o abandono escolar . É de salientar o imperativo reforço no regresso à escola por parte das raparigas , cujos direitos são exponencialmente esquecidos em situações de crise e conflito . Em situações como a vivida atualmente no norte de Moçambique , a Educação é mais do que uma estratégia de subsistência e quebra de ciclos de pobreza : é também um caminho para a construção da paz , da coesão social e da vivência de uma cidadania plena ! Durante todas estas ações de emergência , levadas a cabo pela Helpo até agora , as histórias de tragédia partilhadas pelas famílias de deslocados internos tiveram um grande impacto em toda a equipa , que se sente cada vez mais motivada a agir em prol dos que fogem diariamente aos conflitos armados e atravessam situações de carência extrema , a todos os níveis . Para isto ser possível , a Helpo mantém a decorrer a campanha mencionada anteriormente , cujo principal objetivo é a angariação de fundos , que permitam a continuidade do nosso apoio à frágil e preocupante situação das pessoas deslocadas em Cabo Delgado e Nampula . Todo e qualquer apoio é vital , quando falamos da vida de milhares de pessoas que têm o seu presente e futuro em situação de extrema vulnerabilidade . Sabemos que o caminho é longo e difícil de percorrer , mas não vamos desistir de fazer o que está ao nosso alcance , para apoiar a população de deslocados internos em Moçambique . Ainda há muito a fazer e só com a ajuda de todos conseguiremos fazer mais e melhor !