mundoH51 - Page 24

��
PORTUGAL
Rita Ranchordas : A Helpo é uma instituição , que está presente no meu dia a dia e eu falo imenso sobre ela , principalmente agora que estou na faculdade a tirar serviço social . Durante as aulas , dou vários exemplos do trabalho que a Helpo desenvolve e , normalmente , as pessoas gostam muito de ouvir e de saber mais . Não pretendo deixar de ser voluntária na Helpo , pelo menos tão cedo , até porque , enquanto lá estou , posso estar cheia de problemas e trabalho , mas as crianças conseguem distrair-me de tudo . E todas as semanas , por mais cansada que eu esteja , elogiam-me e isso demonstra como as crianças são os melhores seres para termos ao nosso lado , mesmo que por vezes nos deem muitas dores de cabeça ! Obrigada , Helpo , por me dares a oportunidade de ser voluntária no melhor e humilde sítio . E obrigada por se terem lembrado de mim ( para este testemunho ), gosto muito de estar cá com vocês !
Mariana Santos ( BRINCA Letivo e Férias - Cascais ): É difícil pôr em palavras o que a Helpo significa para mim ! Eu conto às pessoas o que faço , e o que é a Helpo , mas o que eu sinto quando vou é mesmo difícil de explicar . Eu sempre fui uma pessoa dada às pessoas , mas às vezes era mais voltada para mim . E a Helpo ajudou-me nisso . E penso que , se começar a trabalhar , ou se for para os Estados Unidos , vai-me custar muito deixar de ir à Helpo . Criam-se ligações com os miúdos e não só !
tário , senti-o ainda mais durante aqueles meses de pandemia e confinamento , nos quais a jornada das quintas-feiras foi anulada : o trabalho que não fazíamos e , por isso , não chegava onde seria tão útil , o convívio saudável que aquele tempo nos proporciona e nos une e que então não ocorria . Felizmente , já recomeçámos a “ nova rotina ” semanal e , com ela , a certeza de que chegaremos onde vai ser mais necessária .
Rosa Maria ( Apoio ao PACD e Armazém - Ermesinde ): Uma ajuda essencial nos países onde a Helpo intervém e uma mais- -valia em Ermesinde . Para mim , é um dia mais “ cheio ” quando posso colaborar !
Isabel Bettencourt : A Helpo hoje é muito mais do que aquilo que eu vi , quando fiz a formação . Desde aquela altura até hoje , tanta coisa aconteceu e tantos projetos já concretizados e outros sempre a nascer ! Não têm conta . Desde os já tradicionais apadrinhamentos , projetos na área da nutrição , no ensino pré-escolar , a resposta aos ciclones Idai e Kenneth , e agora à pandemia . É um mundo de projetos e de concretizações muito difícil de enumerar . Tendo vivido na primeira pessoa o trabalho desenvolvido no terreno , quer em Moçambique , quer em Portugal , vejo hoje a Helpo como um exemplo daquilo que deve orientar uma ONG , cujos objetivos são , como disse , tão dignificantes da condição humana e , neste caso , orientada para crianças e jovens em situação de grandes carências ao nível da saúde e da escolarização , entre outras . É um orgulho pertencer a esta família e poder continuar a contribuir com o meu tempo , com a minha experiência e com os meus saberes na concretização de alguns dos objetivos da Helpo . Aquilo que , no início , foi um desafio hoje é para mim um modo de vida .
Jacinta : A Helpo cresceu e eu , naturalmente , também . Já não sou a mesma que aqui chegou . Partirei mais rica humanamente , mais humilde , capaz de lidar com a adversidade de uma forma mais tranquila , capaz de apreciar os pequenos gestos , com a certeza de que a promoção da abertura à alteridade e do respeito mútuo são duas habilidades fundamentais para que o nosso mundo seja , de facto , mais humano ! Os voluntários e voluntárias , com quem falámos , são uma pequena , mas valiosa , amostra daqueles que estão connosco todos os dias e tornam possível o nosso trabalho . Ao Jorge , à Rosa Maria , à Elisabete , à Rita , à Mariana , à Isabel e à Jacinta “ o nosso muito obrigado !” por este contributo e por tudo o que dão de vós à Helpo . A todos os restantes que não pudemos entrevistar desta vez , esperamos que se revejam nestas palavras e se sintam celebrados neste dia tão especial , que é vosso e que é de todos nós !