Jornal do Clube de Engenharia 617 Março/Abril 2021 - Page 5

5
março / abril de 2021 inovação
O conceito de “ ecossistema de inovação ” surgiu para explicar novos arranjos empresariais que não seguem mais a lógica verticalizada .
“ No Brasil nós ainda temos desafios grandes para a construção de um mercado de capitais disponíveis para este tipo de investimento . Temos muito capital intelectual , de excelente qualidade e criatividade , mas precisamos de combustível financeiro para que esse ecossistema vibre mais ”, defende a Gerente de Articulações Corporativas do Parque Tecnológico .
Ecossistema Universitário
O Parque Tecnológico da UFRJ é um exemplo de ecossistema que fortalece conexões entre atores para que haja a transformação do conhecimento criado na universidade em inovação . Vale lembrar que a UFRJ possui cerca de 1500 laboratórios , mostrando-se ambiente perfeito para florescer novas ideias .
“ No parque , hoje , nós temos 22 empresas residentes , das quais 11 são empresas de grande porte , como Ambev , Dell e Siemens , que vão para o parque com seus centros de pesquisas , no paradigma da inovação funcional para a inovação aberta . Elas acreditam que , estando próximas da universidade , colaborando com ela , vão se tornar mais competitivas e inovar mais rápido ”, destaca Lucimar Dantas .
Outros centros de pesquisa , também presentes no campus da Ilha do Fundão da UFRJ , envolvem grandes empresas nacionais , como a Petrobras e mesmo a Eletrobras . Além disso , o Parque conta com sete labo- ratórios e incubadora de empresas que alimentam uma cultura aberta ao empreendedorismo .
Outros projetos incluem o Living Lab ( plataforma de experimentação de tecnologias para cidades inteligentes ), Air Centre ( centro de estudos internacionais sobre o Atlântico ), o Manamano ( fundo de transformação social ), Conexão Rio -Poa Delas ( programa para incentivar o empreendedorismo feminino e as conexões entre alunas e ex-alunos da UFRJ e da PUCRS ), Oásis ( projeto de despoluição da Baía de Guanabara ) e a Startup Bio ( programa em Parceria com o SEBRAE para apoiar o desenvolvimento de projetos de bioeconomia ).
Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
Todos esses projetos estão alinhados aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ( ODS ), que foram atualizados em 2015 pela Organização das Nações Unidas para propor metas até 2030 .
Lucimar sinaliza a convergência entre o que se faz no Parque Tecnológico hoje e objetivos como o 5 º, de Igualdade de Gênero , o 9 º, Indústria , Inovação e Infraestrutura , e o 8 º, Trabalho Decente e Crescimento Econômico . “ As ODS são relevantes porque direcionam recursos de forma mais inteligente . Também podemos ter colaboração , já que são objetivos grandes o suficiente para engajar atores na mesma causa ”, afirma .
A pandemia de Covid-19 também tem sido enfrentada pelo ecossistema de inovação do Parque Tecnológico da UFRJ . Lucimar Dantas concluiu sua apresentação trazendo alguns dos bons exemplos de colaboração realizados no último ano : desde a fabricação de álcool gel no centro de pesquisas da Ambev até a produção cooperada de máscaras e aventais , criação de respiradores de baixo custo e participação no processo de produção de vacinas . O Parque e seus parceiros têm , assim , mostrado o valor do ecossistema de inovação no enfrentamento das grandes questões nacionais .
Próximo encontro : Reindustrialização Brasileira
O segundo Encontros com Tecnologia acontece , como sempre , na primeira quarta-feira do mês , dia 05 de maio , das 18h às 20h , com o tema “ Reindustrialização brasileira e as pequenas e médias empresas : Transformação digital , empregabilidade e desenvolvimento sustentável ”. Para trocar ideias , o convidado é Luiz Alfredo Salomão , conselheiro do Clube de Engenharia , ex-deputado da Assembleia Nacional Constituinte e diretor da Escola de Políticas Públicas e Gestão Governamental do IUPERJ / UCAM .
Informações do livro O Brasil e o Futuro : da reindustrialização ao fim do preconceito social , que Luiz Alfredo Salomão lançará em breve pela editora E-papers : “ É na indústria que se encontra a maior produtividade do trabalho . É no setor industrial também que se pagam os melhores salários e onde os trabalhadores dispõem de maior proteção social . Um emprego na indústria rende mais para a Nação , em termos de produção , do que vários empregos na Agricultura e nos Serviços ”.
Como podemos reverter a situação atual ? Que setores têm o potencial necessário para isso ? Como a transformação digital pode contribuir ? Em que isso afeta a geração de empregos ? Como contribui para o alcance do desenvolvimento sustentável ?
Entre outras questões em pauta , os caminhos que a engenharia pode contribuir para o desenvolvimento econômico e de ciência e tecnologia , para o fortalecimento da democracia e da soberania nacional e para o alcance dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável ( ODS ). Há , ainda , a oportunidade de networking e cocriação de projetos de interesse individual e coletivo relacionados ao exercício profissional .
O formato permite além do estímulo à troca de informações e experiências busca maior conexão entre todas as categorias de sócios do Clube de Engenharia , entre as diversas gerações e com a sociedade .
A participação é gratuita e requer inscrição no Sympla . Para entrar na sala Zoom você deve acessar o link que receberá por email com a confirmação da sua inscrição . Haverá emissão de certificado para os interessados .
Venha interagir com especialistas de diversas gerações sobre como superar os desafios atuais e traga suas ideias !
Assista ao primeiro Encontros com Tecnologia aqui .
5