Jornal do Clube de Engenharia 617 Março/Abril 2021 - Page 10

O plano de um Rio mais verde

O calor do verão carioca tem uma relação direta com a falta de árvores no espaço urbano , bem como as recorrentes enchentes que param a cidade todo ano . Esse cenário , no entanto , pode mudar . O Plano Diretor de Arborização Urbana ( PDAU ) estava previsto no Plano Diretor da cidade , de 2015 , mas ficou no papel até o final de fevereiro de 2021 , quando a prefeitura decidiu colocar o plano em prática . Para falar dos desafios enfrentados pelo Poder Público na implantação do PDAU e articular parcerias com a sociedade civil , a divisão técnica especializada de Planejamento Regional e Urbanismo ( DUR ) organizou o debate “ Planejamento Urbano , Plano Diretor e Plano Diretor de Arborização Urbana ”. A coordenação foi de Uiara Martins de Carvalho , chefe da DUR .
Na sexta-feira , 16 de abril , o Clube de Engenharia recebeu Celso Junius , diretor de Arborização da Fundação Parques e Jardins ; Cléber Marques Castro , professor do Programa de Pós-graduação em Geografia da UFRRJ ; Alberico Martins Mendonça , coordenador da câmara especializada de Engenharia Florestal do Crea-RJ ; e Alessandro Magalhães de Oliveira , coordenador geral dos Arboristas Urbanos do Rio de Janeiro .
O Apartheid verde
Não é uma questão apenas de beleza . A arborização urbana ajuda a reduzir a poluição do ar , aumenta o sombre-
amento e a estabilização da temperatura e sensação térmica , reduz o ruído e promove melhorias no cotidiano dos moradores que chegam a impactar , segundo pesquisas , na própria expectativa de vida dos mesmos . No caso do Rio , as árvores têm , ainda , um papel fundamental : interceptar a água das chuvas , regularizando a hidrologia de ruas e encostas e controlando a erosão , o que ajuda muito a evitar enchentes e deslizamentos . Esses benefícios , como outros , não são distribuídos a toda a sociedade e o mapa do déficit de arborização aponta um padrão já bastante conhecido no que diz respeito à desigualdade na cidade .
“ É interessante fazer uma relação do PDAU com o Estatuto da Cidade para pensar como garantir uma distribuição mais equitativa dos benefícios da urbanização e um uso justo e socialmente equilibrado do espaço urbano ”, destaca o professor Cléber Marques Castro . A diferença gritante entra as áreas também foi destacada por Celso Junius , da Fundação Parques e Jardins , que chama o fenômeno de “ apartheid verde ”.
Cléber propõe , ainda , pensar a questão pelo viés metropolitano : “ Nós compartilhamos serviços , redes técnicas de infraestrutura , pessoas , vidas , cotidiano . Existe um conselho deliberativo da metrópole , um fórum de discussão presidido pelo governador e prefeitos das cidades . Agora pode ser uma hora interessante de pensar um desafio pela metrópole ”, defende , destacando que não é um problema só do Rio de Janeiro : 39 % dos domicílios em área urbana na região metropolitana possuem déficit de arborização .
Sociedade e Poder Público se movimentam
O Plano Diretor de Arborização Urbana é um documento que foi construído de forma colaborativa e multidisciplinar trazendo diagnóstico e planejamento de dez anos com programas a serem implementados , como manejo e arborização urbana , tratos silviculturais , normatização , capacitação e treinamento de equipes , educação ambiental e patrimonial , comunicação , fomento à pesquisa , controle e fiscalização , entre outros .
Para tirar os planos do papel foi formado o Comitê Técnico de Implantação e Acompanhamento Permanente do Plano Diretor de Arborização Urbana , que reúne a Fundação Parques e Jardins , Secretaria Municipal de Meio Ambiente , Companhia Municipal de Limpeza Urbana - COMLURB , Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro - CETRIO , Companhia Municipal de Energia
e Iluminação - RIOLUZ , Fundação Instituto Geotécnica , GEORIO , Instituto Rio Patrimônio da Humanidade e Instituto Pereira Passos , entre outras entidades e secretarias municipais .
A primeira reunião inaugurou o comitê depois de cinco anos paralisado na gestão anterior , já com algumas iniciativas na rua . Entre as selecionadas por Junius está a articulação com cerca de 30 coletivos de plantio de árvores urbanas , com mais de 500 voluntários atuando nas cidades . “ O PDAU é uma conquista da sociedade carioca e essa transparência é fundamental , assim como a incorporação da visão dos moradores , associações profissionais , instituições e da população ”, destaca .
Alessandro Magalhães de Oliveira , coordenador geral dos Arboristas Urbanos do Rio de Janeiro representou a sociedade civil no evento . Com slides , panfletos , reuniões de condomínio vamos conseguindo ”, conta . Segundo Alessandro , o grupo de arboristas urbanos conta com o engajamento de 40 grupos de bairros , com cerca de 500 pessoas em cada um deles , 200 voluntários ativos , 10 mil seguidores nas redes e 200 mudas plantadas até o momento ”, comemora .
Construído de forma colaborativa , o Plano Diretor de Arborização Urbana é multidisciplinar e traz diagnóstico e planejamento de dez anos com programas a serem implementados .
10