Boletim de Notícias nº 9 - Page 18

Encontro dos Três Espaços Linguísticos Subordinado ao tema “Línguas, Identidade e Inclusão Social num Mundo Globalizado” o Encontro contou com três mesas-redondas: “Multilinguismo e Diálogo Intercultural”, “Línguas, Cultura e Desenvolvimento” e “Línguas, Conhecimento e Inclusão Social”. N o passado dia 19 de novembro a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) acolheu o “Encontro dos Três Espaços Linguísticos” na sede da instituição, em Lisboa, para refletirem sobre o tema “Línguas, Identidade e Inclusão Social num Mundo Globalizado”. O Encontro realizado em parceira com a Organização Internacional da Francofonia (OIF) e a Secretaria Geral Ibero-americana, contou com a presença da Secretária Geral Adjunta Ibero-Americana, Mariangela Rebuá, do Reitor da Agência Universitária da Francofonia (AUF), Bernard Cerquiglini, do Secretário Geral da Organização Ibero-Americana para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), Paulo Speller, da Diretora Executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), Marisa Mendonça, e do Assessor Especial do Presidente da República de Timor-Leste, Roque Rodrigues (Presidência pro tempore da CPLP). A mesa-redonda “Multilinguismo e Diálogo Intercultural” obteve a mediação do Embaixador Lauro Moreira e a intervenção da Professora Edleise Mendes da Universidade Federal da Bahia, do Professor Alexandre Wolf responsável pelo desenvolvimento da Língua Francesa da OIF e da Professora Sónia Izquierdo, chefe de estudos do Instituto Cervantes de Lisboa. Em cima da mesa estiveram temas como a promoção do multilinguismo e do plurilinguismo, que segundo a Professora Sónia Izquierdo fomenta as relações internacionais e constitui um fator importante na sua democratização, uma vez que têm de ser baseadas no diálogo intercultural. Por outro lado, a Professora destacou a intensificação dos fluxos migratórios, das trocas comerciais e de uma comunicação de espectro global, onde o plurilinguismo constitui um dos grandes desafios das sociedades multiculturais contemporâneas. 18 Na mesa-redonda “Línguas, Cultura e Desenvolvimento” participaram a Professora Ana Paula Laborinho, Presidente do Instituto Camões, o Professor Ousseynou Wade perito da OIF e o Professor Enrique Vargas, coordenador do espaço cultural Ibero-Americano. A Professora Ana Laborinho considerou relevante relembrar que o prazo de concretização dos Objetivos do Desenvolvimento do Milénio (ODM), que foram criados em 2000, terminou. A oradora, apesar de admitir que muitos dos objetivos ficaram aquém das expectativas, reconheceu a sua importância porque, pela primeira vez, foi possível medir o desenvolvimento dos países através dos resultados que conseguiram obter. Dos 8 objetivos dos ODM, salientou o de alcançar a educação primária universal, onde houve significativos progressos a nível global como por exemplo o aumento dos indicadores no ensino primário - em 2000 havia 100 milhões de crianças que não frequentavam o ensino primário e em 2015 passaram para 57 milhões. Destacou ainda a redução do analfabetismo e uma maior equidade entre meninas e meninos no acesso ensino primário, diminuindo assim a diferença registada em 2000. “A verdade é que chegamos a 2015 com mais objetivos e desafios por atingir”, realçou a Professora, destacando que a Agend #3 :