Ateneu Química - Tabela Periódica - Page 17

- Raio Atômico ! Na Tabela Periódica as setas indicam o sentido de crescimento dos raios atômicos. É difícil medir o raio de um átomo, pois a "nuvem de elétrons" que o circunda não tem limites bem-definidos. Costuma-se então medir, com auxílio de raios X, a distância (d) entre dois núcleos vizinhos e dizer que o raio atômico (r) é a metade dessa distância. De modo mais completo, dizemos que o RAIO ATÔMICO de um elemento é a metade da distância internuclear mínima que dois átomos desse elemento podem apresentar, sem estarem ligados quimicamente. O raio atômico dos elementos é uma propriedade periódica, pois seus valores variam periodicamente com o aumento do número atômico. Numa família, os raios aumentam de cima para baixo porque à medida que novos níveis de energia vão sendo ocupados, o tamanho do átomo tende a aumentar. Os elétrons dos níveis mais próximos do núcleo exercem um efeito isolante entre o núcleo e os elétrons mais periféricos. Com isso, o poder de atração do núcleo diminui muito, e os elétrons mais externos tendem a ficar mais espalhados. Num período, os raios diminuem da esquerda para a direita, pois aumenta o número de prótons e consequentemente, aumenta a atração núcleo-elétrons e o átomo encolhe. O efeito isolante nos períodos também se manifesta, mas é de dimensão bem menor do que o que existe nas famílias, pois neles não aumenta o número de níveis eletrônicos.