As Dispensações - Page 27

REINO preso por todo o reinado de 1.000 anos e não terá influência nos assuntos dos homens .
Responsabilidade
A obediência será , mais uma vez , a responsabilidade básica do homem na Era do Reino ( como tem sido em todas as dispensações ), mas no reino será muito literal e real , com Cristo governando diretamente , exercendo domínio universal e reinando em justiça . Cada membro do reino será , portanto , individualmente responsável por se submeter ao governo divino e viver de acordo com seus padrões justos .
Rebelião
Na maioria das dispensações anteriores , rebelião e fracasso foram vistos logo desde o início dos tempos ( por exemplo , o bezerro de ouro na Dispensação da Lei , e a recusa em aceitar a mensagem do evangelho , que já era evidente no início da Dispensação da Graça ). Na Era do Reino , a rebelião aberta não será a regra , pois o Rei governará com vara de ferro . Haverá um julgamento rápido e certo sobre qualquer pecado ou rebelião declarada . Como já observado , apenas os justos entrarão no reino ( os injustos serão levados para julgamento no final do tempo da tribulação ). Mark Sweetnam apropriadamente declara : “ O Milênio , assim , começa com um povo redimido e justo em uma terra restaurada e resplandecente ”. Mas aqueles nascidos durante os 1.000 anos ainda nascerão com natureza não regenerada e precisarão da salvação pela fé , da mesma forma que aqueles nascidos em todas as outras dispensações .
Quando Satanás for solto , no final dos 1.000 anos , ele , apesar das condições perfeitas na terra e do governo impecável que reinou em retidão e justiça , ainda irá encontrar entre os humanos não regenerados corações receptivos que prontamente se unirão atrás dele para se rebelar contra o Rei ! O homem sempre tentou culpar seu ambiente ou influência externa por suas deficiências ( começando no jardim com Adão : “ A mulher que me deste ...”). Esta rebelião final será a prova cabal de que a rebelião do homem vem de dentro de sua natureza miserável e decaída . Mesmo na bendita perfeição , ele escolherá se voltar contra o governo justo de Deus na terra .
Retribuição
A retribuição final de Deus sobre a rebelião final do homem é rápida e sumária . Apocalipse 20:9- 10 afirma : “ Desceu fogo do céu e os devorou . E o diabo , que os enganava , foi lançado no lago de fogo e enxofre ”. Esse julgamento terreno final de Deus não só sinalizará o fim do reinado terreno direto de Cristo de 1.000 anos , mas também representará o fim do propósito de Deus para a presente criação . Os elementos desta criação atual derreterão com calor fervente ( 2 Pedro 3:10 ), e o que é comumente referido como “ o estado eterno ” será inaugurado , marcado por “ um novo céu e uma nova terra ” ( Apocalipse 21:1 ), onde a justiça não apenas reinará ( como aconteceu durante o Milênio ), mas a justiça habitará ( 2 Pedro 3:13 ). No alvorecer desta era eterna , João “ ouviu uma grande voz do céu , que dizia : Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens , pois com eles habitará , e eles serão o seu povo , e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus ” ( Apocalipse 21:3 ).
Conclusão
É impossível , em um artigo tão curto , transmitir adequadamente a maravilha , a glória , o esplendor e o significado deste período de 1.000 anos que está logo acima do horizonte profético do futuro da Terra . Será um momento em que os propósitos de Deus serão todos reunidos e devidamente concluídos . Seus propósitos para o homem , Suas alianças com os patriarcas , Suas perspectivas para Israel e Suas promessas à Igreja encontrarão seu cumprimento perfeito no reinado pessoal e literal de Cristo . Ofuscando tudo isso , porém , será a vindicação pessoal de Deus de Seu Filho , quando Ele “ com justiça há de julgar o mundo , por meio do varão que destinou ” ( Atos 17:31 ). No mesmo lugar onde uma vez foi desprezado e morto , o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores reinará em glória resplandecente , e tudo o que foi tão errado em todas as outras eras será finalmente corrigido com o “ Varão de Deus ”, por direito no trono de domínio universal .
27