As Dispensações - Page 21

LEI então , sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos ” ( Êxodo 19:5 ). O último livro do Pentateuco reitera esta condição : “ E será que , se ouvires a voz do Senhor , teu Deus , tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu te ordeno hoje , o Senhor , teu Deus , te exaltará sobre todas as nações da terra ” ( Deuteronômio 28:1 ). Os destinatários originais da lei compreenderam perfeitamente suas reivindicações e suas responsabilidades . Quando Moisés descreveu-lhes a promessa direta e condicional do Senhor , “ todo o povo respondeu a uma voz e disse : Tudo o que o Senhor tem falado faremos ” ( Êxodo 19:8 ).
Rebelião
Apesar da promessa unânime e , sem dúvida , bem-intencionada do povo , seu fracasso foi imediato e surpreendente . Moisés ainda não havia descido a montanha com as tábuas de pedra divinamente inscritas , e o povo já havia deliberada , descarada e flagrantemente se rebelado contra Deus e estava se curvando para um bezerro de ouro . Este foi apenas o começo de um sórdido e trágico caminho de desobediência e incredulidade que marcou a multidão que atravessava o deserto . Progrediu até Cades-Barnéia , em sua recusa em ouvir Calebe e Josué , e então , infelizmente , continuou a caracterizar a maior parte da nação de uma forma trágica pelo resto da história do Antigo Testamento , e até a época de Cristo aqui na terra . O último ato de rebelião sob a lei culminaria em um dia trágico nas encostas do Gólgota , quando os líderes do povo rejeitariam deliberada e decisivamente o Filho de Deus , clamando ao governador romano : “ Fora ! Fora ! Crucifica-o !” ( João 19:15 ARA ).
Retribuição
O fracasso do homem perante a lei trouxe consequências rápidas e devastadoras . Trinta e oito anos vagando no deserto foi o resultado direto da descrença e desobediência do povo . Por causa de sua recusa a crer em Deus e obedecer a Sua palavra , nenhum dos adultos que deixaram o Egito foi autorizado a entrar na terra prometida , exceto Josué e Calebe . O juízo divino cairia sobre eles repetidas vezes , mesmo depois de finalmente terem entrado em Canaã .
Ao longo dos séculos , eles experimentariam cativeiro , exílio e opressão sob os assírios , os babilônios e os romanos . Sua rejeição final a Cristo acabaria resultando na destruição total de Jerusalém e na profanação do templo em 70 d . C ., sob Tito ( então um comandante militar romano , que viria a se tornar o imperador romano ).
Conclusão
O Novo Testamento deixa claro que a lei nunca teve a intenção de ser uma administração permanente . Seus sacrifícios nunca poderiam tirar o pecado ( Hebreus 10:1-4 ). A intenção era apenas apontar para Cristo : “ De maneira que a lei nos serviu de aio [ tutora ], para nos conduzir a Cristo , para que , pela fé , fôssemos justificados ” ( Gálatas 3:24 ). A lei não foi , entretanto , algum tipo de experimento fracassado . É importante lembrar que a lei em si mesma era “ santa ; e o mandamento , santo , justo e bom ” ( Romanos 7:12 ). A fraqueza estava no homem ( Romanos 8:3 ). Nunca devemos esquecer que , embora a lei destacasse o lamentável fracasso do homem caído , foi também a administração sob a qual o segundo Homem foi apresentado – e esse Homem nunca falharia : “ Mas , vindo a plenitude dos tempos , Deus enviou seu Filho , nascido de mulher , nascido sob a lei , para remir os que estavam debaixo da lei ” ( Gálatas 4:4-5 ). O fracasso notável do povo terreno de Deus sob a Dispensação da Lei foi ( e é ) trágico ; mas não é terminal . Deus ainda cumprirá Suas promessas incondicionais à nação de Israel ( como veremos nos próximos artigos ).
Mas , nesse intervalo de tempo , Ele tem algo novo e glorioso que está revelando . Em nosso próximo artigo , consideraremos nossa era atual , onde a graça de Deus é ricamente demonstrada , o Espírito de Deus é empregado de forma única , o evangelho de Deus está se espalhando por todo o mundo ( não apenas Israel ) e a Igreja de Cristo está sendo construída .
21