As Dispensações - Page 20

LEI

A teologia dispensacionalista é uma visão da revelação bíblica que reconhece distinções na maneira como Deus maneja Seus propósitos para o homem e por meio do homem ao longo da história da redenção , enquanto abraça Seus propósitos abrangentes de glorificar Seu nome . Uma das provas mais claras da teologia dispensacionalista é a distinção feita nas Escrituras entre lei e graça . A lei , bem como a administração que existia sob ela , são contrastadas repetidamente com a era atual da graça em numerosas passagens do Novo Testamento , especialmente em livros como Romanos , Gálatas e Hebreus . A era da lei durou aproximadamente 1.500 anos , começando no Monte Sinai em Êxodo 19 e indo até o “ lugar chamado Caveira ” ( como Lucas o descreve ), fora dos muros de Jerusalém .

Revelação
A Dispensação da Lei começa com a mais extensa e detalhada revelação de Deus que o mundo experimentou até aquele ponto de sua história . A terrível realidade daquele acontecimento é descrita pelo salmista : “ A terra abalava-se , e os céus destilavam perante a face de Deus ; o próprio Sinai tremeu na presença de Deus , do Deus de Israel ” ( Salmo 68:8 ). O escritor de Hebreus descreve um monte “ aceso em fogo ” e nos diz que “ tão terrível era a visão , que Moisés disse : Estou todo assombrado e tremendo ” ( Hebreus 12:18 , 21 ).
Êxodo 20 começa com o que é comumente chamado de “ os Dez Mandamentos ”, mas os capítulos subsequentes descrevem detalhadamente mais de 600 diferentes leis e regulamentos . A revelação dispensacional é , em geral , progressiva : nenhuma dispensação contradiz o que veio antes dela , mas com o início de cada dispensação sucessiva a revelação divina é progressivamente expandida .
A inauguração da Dispensação da Lei providenciou a revelação mais detalhada e expansiva já fornecida ao homem . Revelou , como nunca antes , o caráter justo de Deus , Sua santidade absoluta e Sua aversão ao pecado . Também revelou , de outro lado , o profundo desejo de Deus de habitar entre Seu povo – “ E me farão um santuário , e habitarei no meio deles ” ( Êxodo 25:8 ) – e um meio de aproximação para que Seu povo pudesse desfrutar da Sua presença no meio deles ( por meio do sistema de ofertas e do sacerdócio que as acompanhava ). Finalmente , a revelação da lei concedeu um prenúncio notável do que viria , em última instância , em Cristo , conforme exposto de forma tão eloquente em toda a epístola aos Hebreus .
Responsabilidade
Assim como nas duas dispensações anteriores ( a Dispensação do Governo Humano e a Dispensação da Promessa ), a Dispensação da Lei começa com um pacto ( aliança ). Mas há uma distinção significativa entre o que é conhecido como aliança “ mosaica ” e as alianças com Noé e Abraão que a antecederam . Conforme observado nos artigos anteriores , essas alianças eram incondicionais : Deus declarou o que iria fazer e se comprometeu a cumprir Sua palavra , consagrando Suas promessas em um pacto . Mas com a aliança mosaica há a introdução de uma condição definida . Logo no início de Sua comunicação a Moisés , o Senhor o instrui a dizer ao povo : “ Agora , pois , se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu concerto ,
20