As Dispensações - Page 19

PROMESSA e isso lhe foi imputado como justiça ” ( Gálatas 3:6 ); “ Pela fé , Abraão , sendo chamado , obedeceu , indo para um lugar que havia de receber por herança ; e saiu , sem saber para onde ia ” ( Hebreus 11:8 ).
É bom lembrarmos hoje , mesmo nesta era de graça , que crer em Deus é nossa maior responsabilidade . É o primeiro passo simples para a salvação , e deve ser a marca registrada de nossas vidas como Seus filhos . Fé , confiança , obediência e dependência são os requisitos mais básicos de uma vida que honra a Deus e O glorifica .
Rebelião
Infelizmente , como em todas as dispensações , o fracasso é visto rapidamente à medida que a narrativa se desenrola . Abrão , o grande homem de fé do início de Gênesis 12 , no final desse capítulo deixou a terra que Deus lhe prometeu e foi parar no Egito . Enquanto está lá , dominado pelo medo e pela incerteza , ele resolve o problema com as próprias mãos , mente sobre seu relacionamento com Sarai , sua esposa , e só escapa do desastre por intervenção divina .
Alguns capítulos depois , em Gênesis 16 ( depois de receber mais revelações tremendas e promessas de aliança de Deus no capítulo 15 ), Abrão mais uma vez resolve o problema com suas próprias mãos ( estimulado por sua esposa Sarai ). A história foi impactada para sempre pelas ramificações daquele capítulo triste e sórdido na vida de Abrão – sua união com Hagar , o filho Ismael que surgiu dessa união e os descendentes que resultaram .
De maneira trágica , as falhas de Abrão seriam apenas amplificadas e multiplicadas em sua prole . Isaque iria espelhar a jornada de seu pai ao Egito e sua mentira a respeito de sua esposa . Jacó teria um traço característico e nada lisonjeiro de trapaça ao longo de sua vida . E o mais trágico de tudo , os descendentes de Jacó acabariam sendo marcados por tal incredulidade e rebelião que nenhum dos adultos que foram triunfantemente redimidos da escravidão egípcia teria permissão para entrar na terra da promessa ( exceto Josué e Calebe ).
Retribuição
Os primeiros capítulos de Êxodo descrevem a escravidão no Egito que dominaria os filhos de Israel por séculos . Eles se voltariam para os deuses dos egípcios e se tornariam idólatras . Eventualmente , o Egito sentiria a fúria da ira de Deus quando Faraó endureceu seu coração e não deu ouvidos às instruções de Deus . O pior , porém , é o juízo dos próprios descendentes de Abraão por causa de sua rebelião e descrença flagrante . Hebreus 3 deixa bem claro que Deus agiu em retribuição direta contra um povo incrédulo , e “ jurou na Sua ira ” que eles não entrariam em Seu descanso .
Conclusão
Como em cada uma das dispensações , há um fio de propósito divino que atravessa a era da promessa , apesar de todas as falhas do homem . O plano final de Deus vai prosseguir – sempre vai ! A lei seria dada no Sinai a Moisés , expressando a justiça de Deus e fornecendo belos prenúncios da provisão final de Cristo . Josué e Calebe conduziriam fielmente o povo à terra prometida . As alianças de Deus permaneceriam inabaláveis e Sua revelação contínua seguiria .
Há lições práticas vitais para aprendermos com esta dispensação da promessa . A marca registrada da vida de Abraão foi que “ ele creu em Deus ”. Todos nós temos muito espaço para melhorias a esse respeito ! Que possamos também aprender as lições , porém , das perigosas ramificações da descrença e desobediência . O pecado sempre tem consequências – mesmo para os cristãos . É preocupante ver os impactos de longo alcance e de longa duração provenientes de atos únicos de desobediência na vida de um homem fiel . Que o Senhor preserve cada um de nós .
19