As Dispensações - Page 15

CONSCIÊNCIA desobediência , auto obsessão , desvio moral e pecaminosidade flagrante . Em seis gerações , lemos sobre um homem chamado Lameque ( Gênesis 4:18-24 ) que se gabava de seus atos assassinos , orgulhava-se de ter superado Caim , ostentava seus relacionamentos bígamos imorais ( a primeira menção na Bíblia de um homem que tinha duas esposas ), e personificava a expansão de uma ordem mundial que excluía Deus de sua própria criação . É assustador observar que Lameque poderia ser um “ garoto propaganda ” do estilo de vida humanístico moderno do século XXI que domina e caracteriza nosso mundo ocidental .
No final das contas , a rebelião do homem infeccionou e se multiplicou a tal ponto que Deus fez sua avaliação : “ E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente ” ( Gênesis 6:5 ). Que comentário triste sobre os impactos devastadores do pecado na criatura preciosa de Deus .
É importante perceber , entretanto , que mesmo nessa paisagem desolada e espiritualmente estéril , havia um remanescente fiel que trouxe honra e glória a Deus . No lugar do fiel Abel ( o primeiro homem identificado na “ linhagem da fé ” descrita em Hebreus 11 ), Deus levantaria Sete . As palavras de Eva sobre o nascimento de seu terceiro filho foram estas : “ Deus me deu outra semente em lugar de Abel ; porquanto Caim o matou ” ( Gênesis 4:25 ).
O final de Gênesis 4 indica que “ então , se começou a invocar o nome do Senhor ” ( v . 26 ). Movendo-nos ao longo da dispensação , vemos dois homens notáveis , os quais foram como brilhantes testemunhos de Deus , em nítido contraste com a escuridão espiritual que os cercava . Sobre Enoque , lemos duas vezes que ele “ andou com Deus ” ( Gênesis 5:22,24 ), e o Novo Testamento expande esse elogio ao declarar que ele “ agradara a Deus ” ( Hebreus 11:5 ). Hebreus 11 também nos diz que “ pela fé ” ele foi “ trasladado para não ver a morte ”, dando-nos um belo prenúncio do arrebatamento da Igreja , que os fiéis da dispensação de hoje aguardam ansiosos .
A dispensação também incluiu Noé , similarmente destacado em Hebreus 11 por sua fé e obediência em seguir as instruções do Senhor . Que esses dois notáveis homens sejam um encorajamento para nós em nossa era das trevas . As condições espirituais podem ser sombrias e nossa sociedade pode ser caracterizada por decadência moral e escuridão cada vez mais profunda , mas ainda é possível – na verdade , é nosso chamado – agradar a Deus , permanecer fiel a Ele e sermos usados para trazer honra e glória para o Seu nome .
Retribuição
Como em todas as dispensações , a rebelião do homem inevitavelmente trouxe a retribuição divina , e a linha do tempo desta segunda dispensação passou de forma inexorável a uma espetacular intervenção divina . Está muito além do escopo deste artigo lidar com os impactos globais devastadores do dilúvio mundial descrito em Gênesis 7 , mas seria bom para todos nós revisitar o registro bíblico a respeito desse evento . Não é um mito ou uma “ lenda do dilúvio ”. A linguagem não é alegórica ou pictórica ; é real e devastadoramente literal . O Senhor asseverou em Gênesis 6:13 a respeito da humanidade : “ Eis que os desfarei com a terra ”, e Pedro afirma categoricamente que “ pereceu o mundo de então , coberto com as águas do dilúvio ” ( 2 Pedro 3:6 ). Notamos no final da primeira dispensação o ódio justo de Deus ao pecado , bem como a certeza , severidade e inevitabilidade de Seu julgamento . Esta lição é reforçada aqui novamente no final desta segunda dispensação .
Mas , como continuaremos a ver em cada era sucessiva , o propósito redentor de Deus continua marchando ! A segunda dispensação termina com a destruição global ; mas cavalgando pelas águas do juízo está uma arca divinamente provida que carrega oito preciosas almas . A corrida continuaria . O propósito de Deus não seria frustrado . A linha de fé seria preservada . E a promessa da “ semente da mulher ” permaneceria intacta !
15