A Voz dos Reformados - Edição n.º 173 Setembro/Outubro 2021 - Page 4

Em Destaque
4 A Voz dos Reformados | Setembro / Outubro 2021

Em Destaque

Entrevista a Bernardo Loff , presidente da Federação das Associações de R

Sem força reivindicativa não se con

Recém eleito presidente da FARPIBE , Bernardo Loff considera que « é possível desde já reabrir todas as associações , voltando as suas atividades normais ao nível das existentes antes da pandemia ». Deixa ainda um apelo : « inscrevam-se na associação do MURPI », tendo em conta que « quantos mais formos , mais força reivindicativa teremos !».
Que significado tem a eleição de uma nova Direção da FARPIBE / MURPI nestes tempos de epidemia ? A pandemia desmantelou quase por completo as atividades das associações . Se é certo que , à semelhança de outras pandemias , os meios simples de higiene e de auto-proteção , com o uso de máscara e o afastamento físico , são reconhecidos como eficazes em evitar a transmissão da infeção antes do aparecimento de defesas contra essas mesmas pandemias ( no caso da COVID-19 , a vacinação ), também é certo que muita desinformação sensacionalista originou receios infundados que levaram à cessação pura e simples de todas as atividades das associações . Mesmo com uma vacinação alargada , os impedimentos obrigatórios da sua reabertura progressiva foram demasiado prolongados no tempo , para além de continuarem na mente das pessoas medos sem razão de ser . Para vencer estes últimos entraves , a eleição desta nova Direção tem um enorme papel , no sentido de ir motivando e esclarecendo que é possível desde já reabrir todas as associações , voltando as suas atividades normais ao nível das existentes antes da pandemia .
… que dificuldades esperas encontrar ? A doença prolongada do anterior presidente motivou um hiato de alguns anos sem eleições , o que não significa que não tenha havido trabalho desenvolvido . Ultrapassados os atrasos na constituição da atual lista que foi eleita , haverá sobretudo dificuldades relacionadas com a presença dos membros da Direção nas reuniões , motivadas pelas distâncias existentes até Beja . Procuraremos fazer reuniões descentralizadas . Iremos também ultrapassar as dificuldades relacionadas com a inexistência de alguns documentos importantes do último ano . Como a atual Direção é otimista , estamos confiantes em ultrapassar as dificuldades que entretanto forem aparecendo .
O que pode Bernardo Loff acrescentar à história desta Federação ? Quero começar por recordar o anterior presidente da FARPI-
Bernardo Loff , presidente da FARPIBE
BE / MURPI , António Valverde Martins , falecido no início do presente ano . O Valverde foi o grande dinamizador desta Federação desde a sua constituição , a quem os reformados , pensionistas e idosos do distrito de Beja muito devem . Tive o privilégio de privar com ele , em particular durante os dois últimos anos , quando a constituição de uma lista para os órgãos sociais desta Federação se tornou premente . Homem persistente , lutador , dialogante e diligente na defesa dos interesses dos idosos . Aqui fica este despretensioso registo para memória futura do homem que foi Valverde Martins . A atual Direção quer manter vivos os objetivos de defesa intransigente dos direitos dos idosos do distrito de Beja , que merecem uma vida com dignidade e qualidade . Esperamos honrar a memória do nosso antecessor .
Porque é que o MURPI é tão importante para defender os direitos dos reformados ? É bem conhecido o aforismo « A união faz a força ». Cada um de nós , uns mais , outros menos , tem sentido na pele a subida do custo de vida , não acompanhada do aumento correspondente dos valores das pensões . Tem assistido à degradação progressiva da prestação de cuidados de saúde de qualidade e à desvalorização do Serviço Nacional de Saúde ( SNS ). Tem assistido ao encerramento de serviços públicos de proximidade , que prejudicam claramente os idosos , tais como Postos de Correio , da Caixa Geral de Depósitos , entre outros . São três problemas que os afetam . Sem uma estrutura organizada e sem força reivindicativa não se conseguem conquistas significativas . Daí a importância do MURPI , a quem se deve , pela sua luta persistente e apoiada por todos os idosos , as melhorias conseguidas , embora não tanto como o desejado , nos valores das pensões . Assim sendo , é oportuno deixar um apelo : inscrevam-se na associação do MURPI mais próxima da sua residência e participe ! Quantos mais formos , mais força reivindicativa teremos !
Quais as consequências do encerramento forçado das estruturas de apoio aos mais idosos ? Numa região como é o distrito de Beja , em que as más acessibilidades , os péssimos serviços públicos de transporte e as longas distâncias são uma constante , as estruturas de apoio aos idosos são fundamentais para diminuir as consequências da ausência da família , do viver só e longe de tudo e de todos . As medidas restritivas e o encerramento forçado destes apoios agravaram de um modo dramático a solidão , a tristeza e o sofrimento destas pessoas , com graves repercussões na saúde física e mental , de que vai ser difícil ( mas não impossível ) recuperar .
Que outros problemas existiam antes da pandemia ? A pandemia veio pôr a nu insuficiências que já existiam mas que iam sendo escamoteadas : transportes públicos com horários inadequados às necessidades , muitos utentes idosos sem médico e enfermeiro de família , grandes atrasos na marcação de exames complementares de diagnóstico e de consultas hospitalares especializadas , rede insuficiente de residências para idosos , carências na rede regional de cuidados continuados integrados , o já referido encerramento de serviços públicos de proximidade – apenas para referir os que mais afetam os reformados , pensionistas e idosos .
Quais as principais reivindicações desta Federação ? Para responder a esta pergunta socorro-me das respostas a um inquérito escrito realizado recentemente por nós às várias associações do distrito de Beja , contendo as reivindicações que gostariam de ver incluídas no Caderno Reivindicativo para 2022 : aumento geral das reformas e das pensões , aproximando o seu valor progressivamente do valor mínimo estipulado para o salário mínimo nacional ; melhoria dos serviços públicos de saúde , dotando o SNS com os meios necessários , garantindo a gratuitidade dos serviços prestados ; defesa do sistema público de Segurança Social e garantir a sua sustentabilidade futura ; exigir apoios às pessoas de menores rendimentos na compra de medicamentos , no pagamento da renda da casa , água e luz ; apoios estatais para cobrir as enormes discrepâncias entre os valores da mensalidade exigidos pelos lares e os valores das pensões mais baixas .
Que papel poderá ter este jornal - « A Voz dos Reformados » - na mobilização em torno de ações reivindicativas ? Sendo que os meios de comunicação social , a imprensa e a televisão , omitem por sistema as iniciativas do MURPI e o conteúdo das suas lutas e justas reivindicações , um meio de informar toda a população , em particular os reformados , pensionistas e idosos , é o Jornal « A Voz dos Reformados ». O Jornal é um importante veículo de informação , esclarecimento e comunicação entre os reformados e o MURPI . As recentes melhorias dos seus conteúdos contribuem muito para a sua aceitação . É agora urgente aumentar o número de assinantes e divulgá-lo em instituições que sejam frequentadas por idosos .