A Voz dos Reformados - Edição n.º 171 Maio/Junho 2021 - Page 7

Informação
Maio / Junho 2021 | A Voz dos Reformados 7

Informação

Revolução dos Cravos , vacinação e pandemia debatidos na Assembleia Geral do MURPI

A Direção da Confederação Nacional de Reformados , Pensionistas e Idosos – MURPI realizou , no dia 8 de Abril , a sua Assembleia Geral , na sala João Hogan da Sociedade de Instrução e Beneficência « A Voz do Operário », em Lisboa .
« Esta ação contou com a participação de dirigentes de vários distritos do País ( Porto , Leiria , Santarém , Setúbal , Évora e Lisboa ), que aprovaram por unanimidade o Relatório de Actividades e de Contas de 2020 , com o parecer favorável do Conselho Fiscal , bem como as moções « O 25 de Abril e a luta dos reformados . Cumprir Abril . Envelhecer com direitos » e « Para combater o flagelo é preciso acelerar a vacinação ». O momento ficou ainda marcado pela intervenção do médico Carlos Silva Santos ( ver página 3 ) que abordou o tema « Pandemia da COVID-19 e a vida », uma exposição muito viva e esclarecedora , alertando para a utilização dos meios de defesa : uso da máscara ,

Federações e associações reunidas

Em Abril , a Associação de Reformados , Pensionistas e Idosos do Concelho de Alpiarça ( ALPIARCA ) acolheu uma Assembleia Geral da Federação Distrital de Santarém do MURPI , que contou com a participação de 15 dirigentes , em representação de cinco associações . Nesta reunião foram aprovados o Relatório e Contas e discutida as atividades da Federação e das associações de reformados do distrito . A Assembleia Geral da Federação Distrital de Setúbal do MURPI realizou-se no dia 19 de Abril na Associação de Reformados , Pensionistas e Idosos do Pinhal Novo , onde também foram aprovados , por unanimidade , o Relatório de Atividades e os relatórios e as contas de gerência de 2021 . Foi ainda discutida a situação e o funcionamento das associações no contexto da crise pandémica . Mais recentemente , teve lugar a Assembleia Geral da Associação de Reformados do Barreiro , onde estiveram 31 pessoas . distanciamento físico , lavagem das mãos , e a vacinação urgente , promovendo um debate vivo sobre questões relacionadas com o funcionamento das estruturas associativas dos reformados .
Reforçar o SNS No texto sobre as vacinas , realça-se a « importância » e a « necessidade » de reforçar o Serviço Nacional de Saúde ( SNS ), com meios humanos e financeiros ; de retomar a vida associativa dos reformados ; de valorização das pensões e rendimentos ; de promover a construção de uma rede pública de equipamentos sociais a ser gerida e financiada diretamente pela Segurança Social com a complementariedade de outras estruturas já existentes ; assegurar a mobilidade através de uma rede pública de transportes e a introdução generalizada a todo o País do passe intermodal .
Reclama-se também do Governo « medidas urgentes que ultrapassem rapidamente o atraso na vacinação , mesmo que se tenha de recorrer à aquisição de outras vacinas comprovadamente eficazes produzidas fora da União Europeia e dos Estados Unidos da América , dando outra dinâmica e acelerando o processo de vacinação da população »

MURPI na 9 .ª Conferência Nacional da Inter-Reformados

A 9 .ª Conferência Nacional da Inter-Reformados / CG- TP-IN , que se realizou no dia 16 de Abril , em Lisboa , na Casa do Alentejo , sob o lema « Direitos dos trabalhadores a envelhecer com direitos – Organizar , defender , reivindicar e lutar – Afirmar a solidariedade intergeracional », contou com a presença de Isabel Gomes , dos Organismos Executivos da Confederação Nacional de Reformados , Pensionistas e Idosos – MURPI . A Inter-Reformados , organização dos reformados e pensionistas , constituída por quadros e ativistas sindicais reformados , afirmou os valores e ideais de solidariedade social com os reformados e pensionistas e , simultaneamente , denunciou os problemas que se lhes colocam . A 9 .ª Conferência elegeu a Direção Nacional da Inter-Reformados para o mandato 2021 / 2025 e o encerramento foi efetuado pela Secretária-geral da CGTP-IN , Isabel Camarinha . « Vivemos tempos difíceis , com graves consequências

MURPI questiona sobre « Pensão na hora »

O MURPI solicitou ao presidente do Instituto da Segurança Social ( ISS ) a realização de uma reunião com o objetivo de esclarecer as questões relativas ao serviço « Pensão na hora », lançado pelo Governo . Na primeira reunião , realizada no dia 24 de Março , com o diretor do Centro Nacional Pensões e a vice- -presidente do ISS , apenas se debateram as questões relativas à propaganda do serviço , ficando marcado um novo encontro para debater as questões que o MURPI tinha colocado , que acabou por se realizar no dia 11 de Maio . Nesta última reunião participaram Vítor Junqueira , director do CNP , Casimiro Meneses e Isabel Quintas , do MURPI . Nas perguntas anteriormente formuladas pelo MUR- PI questiona-se , por exemplo , se « os balcões dos Serviços da Segurança Social estão em condições de dar resposta rápida », tendo em conta que « muitos trabalhadores trabalhadores com idade próxima da reforma não estão habilitados a utilizar os meios
sanitárias , económicas e sociais , provocadas pela COVID-19 , que atinge particularmente as pessoas idosas . Temos sofrido privações de toda a ordem que agravam a situação social e acentuam as desigualdades sociais existentes », refere o MURPI , numa saudação à Conferência , onde se afirma : « Lutamos pela defesa dos nossos direitos ameaçados pelos sucessivos confinamentos e reivindicamos o direito a envelhecer com dignidade »
digitais », e para quando a « resolução definitiva » dos « atrasos no procedimento da atribuição das pensões por dificuldades relacionadas com os períodos contributivos e remunerações registadas nomeadamente entre 1977 e 1981 em Lisboa ». Pediram-se ainda explicações relativamente aos « requerentes da pensão de velhice que aguardavam escandalosamente longos períodos até que os Serviços da Segurança Social fornecessem informação da carreira contributiva em Portugal » e « qual a explicação para que em 2020 se verificasse uma redução de 550 milhões de euros abaixo do Orçamento , em relação a 2019 ?». Apesar da simpatia e da disponibilidade para responder , o que é certo é que a grande maioria das situações continuam em estado de resolução , não se sabendo para quando a sua solução . Os problemas só serão resolvidos quando houver vontade política de colocar mais pessoal em todas as áreas da Segurança Social