A Voz dos Reformados - Edição n.º 171 Maio/Junho 2021 - Page 4

Em Destaque
4 A Voz dos Reformados | Maio / Junho 2021

Em Destaque

Associação do Sobralinho com pr

A Confederação Nacional de Reformados engloba , atualmente , sete federações ( Beja , Évora , Leiria , Lisboa , Porto , Santarém , Setúbal ) e 170 associações situadas nos distritos de Funchal , Viana do Castelo , Braga , Porto , Leiria , Castelo Branco , Lisboa , Santarém , Setúbal , Évora , Beja , Portalegre , Faro e na região do Litoral Alentejano ( Grândola , Alcácer do Sal e grupos em Sines e Santiago do Cacém ). Desta vez , fomos conhecer a Associação de Reformados Pensionistas e Idosos da Freguesia do Sobralinho ( ARPIFS ). Com sede no concelho de Vila Franca de Xira ( VFX ), esta instituição apresenta um plano de atividades intenso , contemplando diversas iniciativas de natureza educativa , cultural e desportiva . Neste momento , a Associação conta com 257 sócios , três dos quais entraram durante a epidemia por COVID-19 , que obrigou a fechar as portas desta instituição a 11 de Março . A vida associativa regressa lentamente ao Sobralinho .
João Mendes , presidente da ARPIFS
António Anastácio , vice-presidente da ARPIFS
Esta associação nasceu no início dos anos 80 do século passado por vontade e iniciativa de um grupo de mulheres progressistas que ambicionavam constituir uma comissão de reformados , pensionistas e idosos no Sobralinho , para assim defender os seus direitos e reforçar a organização do MURPI .
O Grupo de Ginástica é uma presença assídua no Piquenicão do MURPI
Ao « A Voz dos Reformados », António Anastácio , vice-presidente da ARPIFS , recordou as primeiras iniciativas desenvolvidas : « quermesses , bailes , festas de Carnaval , entre outras , sempre com o objetivo de angariar fundos para a criação de uma associação de reformados ». Muitas dessas participações chegaram a concelhos próximos , nomeadamente a Salvaterra de Magos , com o espetáculo dos trajes tradicionais das várias regiões do País , do Ribatejo à Madeira , com uma importância vital na identificação social , cultural e profissional dos povos . Esta dinâmica ganhou raízes tão profundas que a Câmara Municipal ( CM ) de VFX promove a « Passerelle D ’ Ouro », para valorizar os mais velhos e proporcionar a troca de experiências com os mais novos . « Agora já não tem nada a ver com o que era . É mais comercial e conta com o patrocínio do comércio , embora estejam sempre presentes os seniores , que vão desfilar com os seus netos », descreveu António Anastácio .
Comissão de mulheres À conversa juntou-se também João Mendes , presidente da associação , e Ricardo Anastácio ( filho do vice-presidente ), também da Direção . Sobre a fundação da ARPIFS , lembraram que a ideia foi muito acarinhada pela Junta de Freguesia ( JF ) de Sobralinho , na altura presidida por Álvaro Pinheiro . « As mulheres nem conta tinham no banco . O dinheiro que faturavam era “ depositado ” num cofre da JF , que foi a primeira sede da associação de reformados . A primeira máquina de café , o primeiro
Desejando um « feliz ano novo », a ARPIFS vai « Cantar as Janeiras » ao comércio local balcão , o primeiro frigorífico , a primeira televisão , todas estas coisas foram compradas pela comissão de mulheres », adiantou António Anastácio . Em 1985 foi formalizada a ARPIFS . Beatriz Falcão foi uma das fundadoras e quem criou os estatutos . No entanto , as primeiras eleições só aconteceram dez anos mais tarde . Segundo João Mendes , a nova sede da associação , no Centro de Convívio Álvaro Pinheiro ( rua Ângelo Marques ), foi inaugurada no dia 2 de Abril de 1995 . Nesse ano , o presidente da Direção era Domingos da Silva Reis . Seguiu-se Fernanda Corado , outra das impulsionadoras da comissão de mulheres . « Ela cantava muito bem e escrevia algumas letras das canções », destacou . « Na JF as mulheres não tinham um espaço próprio , apesar de continuarem a desenvolver as suas atividades », reforçou Ricardo Anastácio .
Nova Direção Com um espaço próprio – que também acolhia iniciativas de outras associações , um género de Casa da Cultura – as condições para desempenhar as atividades culturais da ARPIFS cresceram e melhoraram . Para além dos jogos ( cartas , dominó , damas e xadrez ), da leitura de jornais e do serviço de bar ( sempre assegurado pelos próprios sócios ), passaram a realizar-se duas noites de fado por ano , uma festa de Natal e a assinalar-se a Revolução dos Cravos . Por vezes tinha lugar um baile de máscaras no Carnaval . Com a entrada de uma nova Direção , outras iniciativas – muitas têm o apoio da JF e da CM de VFX – passaram a decorrer , influenciando e trazendo cada vez mais pessoas . Para além das atividades existentes , passou-se a comemorar-se o Dia dos Reis e a cantar as Janeiras no comércio local ; o Dia Internacional da Mulher ; o aniversário da ARPIFS e do Centro de Convívio Álvaro Pinheiro , integrado nas comemorações do 25 de Abril . A data que