A Voz dos Reformados - Edição n.º 163 A VOZ REFORMADOS - N 163 - Page 8

8 A Voz dos Reformados | Janeiro/Fevereiro 2020 Última página Orçamento do Estado para 2020 e a continuação da luta Palavras de Paz Pela paz, não à guerra contra o Irão O novo ano começou com novas ameaças da Ad- ministração Trump de desencadear uma guerra contra o Irão, na sequência dos ataques dos EUA que resultaram no assassinato de importantes di- rigentes militares iranianos e iraquianos. Ataques que devem ser repudiadas por todos quantos se colocam do lado da paz, da soberania e do direito internacional. Foram os EUA que se retiraram do «Acordo Nuclear» com o Irão, impõem sanções e um bloqueio ilegais afetando o povo iraniano, recusam a saída das suas tropas do Iraque e deslocam milhares de solda- dos para junto das fronteiras com o Irão, apelam à NATO para apoiar a sua estratégia belicista no Médio Oriente. A cumplicidade e apoio à ocupação de territórios da Palestina e à opressão do povo palestino por Israel, a guerra contra o Iraque, a Líbia, a Síria ou o Iémene, a desestabilização de toda a região, demonstram que os EUA e os seus aliados continuam a representar a principal ameaça à paz, à soberania, aos direitos dos povos, ao direito internacional, na sua tentativa de espoliar recursos e controlar rotas e territórios. É urgente a retirada das forças militares norte-a- mericanas da região, possibilitando a reconstrução soberana dos países e povos agredidos e que as autoridades portuguesas, no respeito pelos princí- pios da Constituição, condenem inequivocamente as violações do Direito Internacional pelos EUA e advoguem a solução negociada dos conflitos, re- jeitando a ameaça ou o uso da força nas relações internacionais e respeitando a soberania e inde- pendência dos Estados. O Jornal “A Voz dos Reforma- dos” tem dado eco das iniciati- vas que os dirigentes do MURPI têm levado a cabo no Conselho Económico e Social e junto aos deputados da Assembleia da República dando expressão ao conjunto de medidas propostas no seu Caderno Reivindicativo para 2020 para serem contem- pladas em sede da discussão na especialidade e votação final do Orçamento do Estado (OE) na Assembleia da República que decorre no momento em que escrevemos este texto. Veremos se muitas das insufi- ciências detetadas na proposta do OE foram ou não corrigidas e se as propostas do MURPI, que são do conhecimento dos depu- tados do grupo parlamentar do PS que dá suporte ao Governo, foram contempladas no sentido de impulsionar as justas e ne- cessárias medidas que o MURPI reivindica. Aguardamos se o Governo do PS ouviu e pôs em prática as reivin- dicações apresentadas no pas- sado dia 15 de janeiro, na luta que teve lugar por todo o País e que envolveu mais de 1500 di- cional de Reformados Na MURPI Confederação Pensionistas e Idosos COMUNICADO irmámos Em 15 de Janeiro reaf inuar a luta a necessidade de cont rdinários das Pensões Por aumentos extrao Públicos Por melhores Serviços içõesde vida dignas nd co s da a ri ho el m la Pe R- istas e Idosos MU l de Reformados, Pension A Confederação Naciona formados/CGTP-IN as estruturas da Inter-Re PI em convergência com distritais, iniciativas janeiro, em 11 cidades de 15 dia no , eu ov om pr da uma Resolução cas – tendo sido aprova bli pú s na bu tri – s ca públi o apresentado o Orçamento do Estad e qu ige ex se de on l medidas que Naciona bate de especialidade, de no , ple em nt co o rn as, um forte pelo Gove ros em todas as reform eu 10 de to en m au o concretizem ínios vitais para um iços públicos em dom investimento nos serv e à pobreza nas áreas desigualdades sociais verdadeiro combate às cial, na mobilidade e Saúde, da Segurança So de l na cio Na ço rvi Se do bens energéticos bitação, no usufruto de ha na s, co bli pú s rte po trans mados. to associativo de refor e no apoio ao movimen pos parlamentares gru s rá enviada ao se e qu da va ro ap ão de mais A Resoluç as que tiveram a adesão tiv cia ini s da ou an em e ao Governo rigentes e ativistas do MURPI e da Inter-Reformados/CGTP-IN. A experiência tem-nos de- monstrado que os direitos se conquistam pela luta e por este facto afirmamos que não nos resignaremos à espera que algo aconteça, porque é do conhe- cimento geral que o País tem recursos financeiros para dar resposta à necessidade de com- bater as baixas pensões, garantir o direito à saúde e o direito a uma vida digna para todos. Exi- gimos uma melhor política de redistribuição dos rendimentos nacionais que beneficie aqueles que menos têm, reduzindo o apoio financeiro à banca priva- da para dar corpo à construção de uma sociedade mais justa para os “mais velhos” e para as novas gerações. O MURPI continuará a intervir junto dos reformados, pensio- nistas e idosos e as suas associa- ções contribuindo para elevar a consciência da defesa dos seus direitos, afirmando com con- fiança e determinação que um outro caminho de justiça social é justo e necessário. Continuaremos a lutar. o o País, ionistas e idosos em tod ns pe , os ad m or ref de boa, de um milhar imbra, em Leiria, em Lis Co em o, eir Av em , rto em Braga, no Po e em Faro, desafian- bal, em Évora, em Beja tú Se em , m aré nt Sa em a, tornou manifesta a adversidade climatéric a s so ca os uit m em extraordinário do e aprovado o aumento do pla em nt co r se de ia blica onde se exigênc na Assembleia da Repú os tad pu de los pe s õe das pens Estado para 2020. l onde se discute o Orçamento de pela comunicação socia a lad icu ve je ho ia tíc ordinário A recente no var um aumento extra ro ap iu cid de o rn ve afirma que o Go es até 658,20 euros, istas que auferem valor ion ns pe s ao s ro eu z de de r abrangidos, exclui anço para os que vão se av um a o nd de on sp corre ormados e pensio- todos os restantes ref o im ín m to en m au desse descontos para resulta de um vida de a m or ref da lor va jo nistas cu dos refor- a Segurança Social. iável do valor da luta oc iss ind , ão cis de ta Valorizando es ntinuará a lutar pela e idosos, o MURPI co mados, pensionistas m como pelas reivin- as reformas e pensões be as tod de ão aç riz alo rev mente a melhoria 15 de janeiro designada dia no s sa es pr ex s õe dicaç Serviço Nacional eadamente a defesa do m no s co bli pú s ço rvi tras medidas dos se as moderadoras e de ou tax s da o çã oli ab a m co primários de Saúde to da rede de cuidados en m na cio fun or elh m por una- que exigem na Resolução aprovada s sa es pr ex s tra ou de de saúde alem . nimidade dos presentes a! inu nt co A luta nfederação Nacional Co da A Direção istas e Idosos MURPI de Reformados, Pension