A Voz dos Reformados - Edição n.º 163 A VOZ REFORMADOS - N 163 - Page 4

4 A Voz dos Reformados | Janeiro/Fevereiro 2020 Janeiro/Fevereiro 2020 | A Voz dos Reformados Actual 5 Actual RESOLUÇÃO DA JORNADA DOS REFORMADOS AUMENTO DE TODAS AS PENSÕES MELHORIA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS CONDIÇÕES DE VIDA DIGNAS O MURPI LUTA DOS A M R O F E R S O D A S E NA DEF sos dos, Pensionistas e Ido ão Nacional de Reforma O MURPI - Confederaç a da CGTP-IN decidiram , organização específic OS AD RM FO RE R- TE e a IN l descentralizada em de uma Ação Naciona o, eir jan de 15 a ão aç todas as pensões, a realiz igência de aumento de ex na o ind erg nv co a dignas. 12 distritos e por condições de vid s co bli pú s ço rvi se s principais melhoria do mentares conhecem as rla pa s po gru os ers div ssidade de O Governo e os no que concerne à nece er qu ras tu tru es s sta ndi- reivindicações de tivos na elevação das co tan bs su s ço an av de o aprofundar o caminh s, na salvaguarda dos os, pensionistas e idoso ad m or ref s do a vid de ções res, designadamente velhice dos trabalhado na l cia so o çã ote pr de ueles que foram direitos idade de reforma, e aq da ira be à ram nt co en uma longa dos que se duração ou dos que têm ga lon de o eg pr m se sujeitos a de çamento carreira contributiva. ecimento que têm do Or nh co o é s õe aç niz ga ia de que Da parte destas or que coloca a exigênc o, rn ve Go lo pe o tad de Estado apresen sede de discussão na s suas insuficiências em da as uit m s da na sa Estado os avanços sejam os neste Orçamento do ram nt co en o Nã . de ida especial . que o governo enuncia POR MELHORES PEN SÕES Pelo contrário conside ramos que o Orçamen to do Estado para 2020 cisa de dar resposta co pre- m medidas que concret izem respostas imediat necessárias e justas nu as, m caminho de verdadeir a consolidação da auton mia económica e socia o- l dos reformados, pens ionistas e idosos, por via aumento geral de todas do as reformas e pensões, por um forte investimen nos serviços públicos to em domínios vitais pa ra um verdadeiro com às desigualdades socia ba te is e à pobreza nas áre as do Serviço Naciona Saúde, da Segurança l de Social, na mobilidade e transportes público habitação, no usufruto s, na de bens energéticos a preços acessíveis. Combate às desigualda des sociais que não dis pensa o aprofundamen das medidas de desagra to vamento dos rendimen tos do trabalho (e das pensões) em sede de IR S. Reiteramos a necessida de de contemplar um aumento mínimo de euros para todas as pe 10 nsões para mitigar os ins uficientes aumentos qu resultam do mecanism e o de atualização anua l. Defendemos a importâ ncia de ser contempla do um aumento especia das pensões dos trabalha l dores rurais e a criação de pelo menos mais do escalões de pensões m is ínimas, para carreiras contributivas superiores 40 anos civis, fixando a o seu valor em 80% do salário mínimo naciona Estas propostas convert l. idas em medidas a serem contempladas no Or- çamento do Estado co ntribuiriam para dar um sinal claro da priorida à elevação dos rendim de entos dos reformados, pensionistas e idosos co reformas mais baixas, m e simultaneamente ga rantir a valorização de as que resultam de um tod as a vida de trabalho e de descontos para a Seguran Social e Caixa Geral de ça Aposentações. Não é justo nem aceit ável que quem trabalho u ou trabalha e sempr descontou para a Segu e rança Social esteja ag ora, depois de reform numa situação de pobr ad o eza e/ou de dependên cia. 20 0 2 e d o r i e n 15 de Ja Braga O COMPLEMENTO S OLIDÁRIO PARA IDOSOS NÃO S UBTITUI A VALORIZAÇÃO DAS PENSÕES Nã Coimbra Leiria o nos identificamos co m a posição do Govern o que pretende apre- sentar o complemento solidário para idosos como a solução mágica para o combate à pobr eza daqueles que aufer em pensões mais baixa Trata-se de uma prestaç s. ão social do regime nã o contributivo, sujeita condição de recurso qu a e não deve substituir a valorização própria qu é devida às baixas pe e nsões do regime prev idencial. Defendemos deve ser eliminada, na que generalidade, a exigênc ia de apresentação do rendimentos dos filhos s entre outras medidas necessárias para valor esta prestação social. izar Insistimos que o nece ssário combate à pobr eza entre idosos alice se na valorização das rça- pensões do regime pr evidencial, funcionand prestações do regime nã o as o contributivo como co mponente complemen para as pensões que res tar ultam de carreiras cont ributivas menos longa s. Santarém Lisboa Setúbal Évora Sines Beja ENTO M A V A R G A S E D S O EXIGIM TOS N E IM D N E R S O D L A FISC - idas de desagravamen rofundamento das med gamento Não dispensamos o ap de de IRS, o fim do pa se em lho ba tra do s to dos rendimento s e da redução do IVA todos os atos médico em ras do era od m as de tax s. s de botija, entre outra na eletricidade e no gá io da Ação Social neste ín m verbas no do de to en m au o e nt igma que as- Não obsta uma mudança de parad os am br lum vis o nã nsionistas e Orçamento, dos os reformados, pe to de so es ac de e ad us filhos, segure a iguald rendimentos e dos se us se s do te en tem en importante idosos, independ iços de apoio, como rv se e s to en am uip a uma rede de eq ções de pobreza. sigualdades e às situa de às te ba m co de ida med stancie uma linha de ento de Estado consub m ça Or te es e qu os ionistas e Idosos Propom es de Reformados, Pens çõ cia so As às iro ce an ral para os seus apoio fin dole formativa e cultu ín de es ad vid ati de vêm, desig- na realização a geográfica onde inter áre da os ad m or ref os e aqueles sócios e para os culturais existentes up gr s ao ne er nc co e nadamente no qu amizados. que possam vir a ser din A QUESTÃO DO ENVELHECIMEN TO ATIVO Queremos ainda man ifestar, a nossa profund a discordância das m didas inclusas no conc e- eito do envelhecimen to ativo que preconiza a criação de um mecan ismo de reforma a tem po parcial, assim com prosseguimento do au o o mento da idade de ref orma para as atuais ge ções de trabalhadores ra- . Faro A LUTA CONTINUA ndamente soli- s são profu , pensionistas e idoso direitos de pro- Os atuais reformados salvaguarda dos seus na , res do lha ba tra os piral de baixas dários com o interrompendo a es log e sd de , ce lhi ve na lários e do teção social da valorização dos sa via r po , ro tu fu no s õe rto prazo, reformas e pens l para 850 euros, a cu na cio na o im ín m io à segu- aumento do salár to das receitas devidas en m au de e ad uid in que assegure a cont o objetivo de, no rança social. to de Estado contemple en m ça Or te es e qu ma aos 65 anos, Importa ição da idade de refor os rep à er ed oc pr se , rar do direito à ano de 2020 abilidade e no assegu nt ste su de or fat do à eliminação lhadores ões para todos os traba reforma sem penalizaç JUNTOS SOMOS MAIS FORTES Estas reivindicações sã o justas, necessárias e urgentes por correspon derem à necessidade de - serem tomadas medida s que contribuam para a melhoria das condiçõ es de vida em que viv em milhões de reform dos que reclamam jus a- tiça social contra a po breza e a exclusão socia Os reformados, pension l. istas, aposentados e ido sos continuarão a lu- tar pela sua concretiza ção por corresponderem aos princípios de jus- tiça social no combate às desigualdades socia is. MURPI Confederação Nacional de Reformados, Pension istas e Idosos INTER-REFORMADOS / CGTP-IN 15 de janeiro de 2020